MotoGP: os cinco circuitos com maior velocidade máxima do Mundial

MotoGP os cinco circuitos com maior velocidade máxima do Mundial

Sportv – O motojornalista espanhol Nacho González indica quais são os traçados do calendário da MotoGP onde mais rápido se chega a ir.

Há algumas semanas, em questão de minutos, Andrea Dovizioso bateu o recorde oficial de velocidade de uma MotoGP, e o fixou em 356,5 km/h no final da linha do Autódromo de Mugello… E o seu compatriota Michele Pirro caiu no final da mesma reta , em uma ação que causou um susto enorme e que deixou os fãs com a alma em suspense por vários minutos, retomando o debate sobre as velocidades alcançadas na categoria rainha.

A evolução dos protótipos da categoria rainha é tal que, durante anos, a velocidade máxima que eles podem alcançar disparou. Na verdade, na grande maioria dos circuitos mundiais, se eles não atingem tais figuras é devido à ausência de retas particularmente longas.

No entanto, há cinco em que foi registrada uma velocidade máxima superior a 347 km/h. Uma lista a qual poderia se juntar a MotorLand Aragón, cujo registro é Andrea Iannone com 345,8 km/h, marcado pela Ducati em 2015. Vendo que nos circuitos mais rápidos foi batido o recorde este ano, poderia se unir à lista no próximo Grande Prêmio de Aragão.

Da mesma forma, também será interessante ver o que é a máxima que chegam na pista tailandesa de Buriram, com a sua reta de um quilômetro exato. Nos testes pré-temporada eles foram amplamente de 330 por hora, e será interessante ver o quanto eles são capazes de esticar esse recorde, embora pareça difícil chegar até aqueles 347 km/h que, no momento, apenas cinco circuitos já viram.

São os seguintes, ordenados de maior a menor velocidade máxima:

Autódromo de MUGELLO-356,5 km/h

O recorde oficial de velocidade na MotoGP (é considerado o oficial porque depende dos sensores… embora a informação real esteja na posse da fábrica dse freios Brembo) foi estabelecida neste 2018, pela Ducati Desmosedici GP18 de Andrea Dovizioso, que alcançou 356,5 km/h. A longa reta da pista de 1.141 metros de Mugello, juntamente com o fato de a última curva ser atacada a uma velocidade considerável que permite abrir rapidamente o gás, faz com que a pista italiana seja a mais rápida da MotoGP.

Circuito Internacional de LOSAIL – 351 km/h

A reta do circuito internacional de Losail é também superior a um quilômetro (1.068 metros), embora a última curva seja um pouco mais lenta do que a de Mugello, pelo que a velocidade máxima é um ponto inferior; mas ela manteve o recorde de velocidade até que vários pilotos a superaram em Mugello 2016. O registro atual do traçado cataril é de 351,9 km/h e pertence a Danilo Petrucci neste 2018, também com a Ducati Desmosedici GP18.

Circuito de Barcelona – 348,8 km/h

A remodelação do circuito de Barcelona-Catalunha levou os dados de velocidade máxima anteriores (Andrea Iannone em 2016 com 347,2 km/h) a serem invalidados. Neste fim-de-semana, foi Andrea Dovizioso que, com a sua Ducati Desmosedici GP18, aproveitou o regresso do traçado para a entrada na linha de meta original – localizado numa reta de 1.047 metros – para estabelecer um novo recorde, mesmo acima do anterior, deixando-o em 348,8 km/h.

Circuito de Phillip Island – 348 km/h

O traçado australiano de Phillip Island também tem uma reta importante, especificamente de 900 metros. Embora não seja tão longa quanto o resto das pistas que aparecem nesta lista, a velocidade máxima é beneficiada pela curva de entrada na reta: longa e rápida, permite que quando a moto recupera a verticalidade, o faça em alta velocidade. Como fez Andrea Dovizioso, que em 2015 alcançou 348 km/h com a Ducati Desmosedici GP15.

Circuito das Américas – 347,2 km/h

O único cenário deste Top 5 onde o registro não pertence a uma Desmosedici é o circuito americano. É também o único dos cinco onde o registro não é feito na linha de chegada, mas na longa reta oposta, de até 1.200 metros. Tanto tempo que nem o fato de partir de uma curva bastante lenta impediu que, neste mesmo 2018, a Honda RC213V de Cal Crutchlow chegasse até 347,2 km/h.

A menos de 300

Por outro lado, existem três circuitos do atual calendário de MotoGP em que não foram alcançados – ainda – os 300 km/h. Não é entre eles Assen, onde chega a 320 apesar de ter a reta mais curta do Mundial (487 metros).

Dos três, dois poderiam chegar lá este ano: Misano e Sachsenring, cujos registos remontam a 2015 e pertencem à Ducati Desmosedici GP15 de Andrea Dovizioso. Misano, cuja linhade chegada é de 530 metros, é de 299,5 km/h; enquanto em Sachsenring, com uma reta de 700 metros, é de 298,2 km/h.

Finalmente, Jerez Seu registro é também de 2015 e também pertence a uma GP15, neste caso, a de Andrea Iannone, que em seus 607 metros de reta alcançou ‘ apenas’ 295,9 km/h.

Nacho González para motociclismo.es.

Para ler este artigo no original em espanhol, clique aqui

Opinião MM: Muito interessante pesquisa do motojornalista espanhol Nacho González. Interessante a pista de Spielberg não entrar nas top 5, talvez porque, apesar das muitas retas, a maior delas mede 626 metros. O recorde lá de outra Ducati, a GP16 de Alvaro Bautista, com 316, 5 km.h.

Essas marcas vertiginosas mostram bem a necessidade de termos circuitos seguros, com áreas de escape de grande extensão, fiscais bem treinados e socorro veloz.

O que não é o caso de Phillip Island, Mugello e Montmeló. Que por vários motivos, alguns justos, outros nem tanto, permanecem no calendário do Mundial de Motovelocidade.

Que os deuses os protejam…

Fonte original do texto: Sportv

 

One thought on “MotoGP: os cinco circuitos com maior velocidade máxima do Mundial

  1. Pingback: Corridas históricas da Motovelocidade - GP da Austrália de 1990 -

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *